quinta-feira, 31 de março de 2011

Mais uma oportunidade para a geração à rasca!

Caro(a) Leitor(a)

É já amanhã que a Interjovem leva a cabo mais uma manifestação contra as actuais politicas que conduziram ao actual estado de sitio a que PSD/PS e PP conduziram o nosso país.
Amanhã será mais uma oportunidade que a geração à rasca demonstre o seu descontentamento e exigência de uma ruptura com esta politica!   
Hoje e a propósito das noticias de que o défice afinal aumentou, contrariando as expectativas do governo, Honório Novo lembrou no JN que o PCP "foi o único partido que rejeitou claramente a nacionalização do BPN" que "se traduz agora num buraco de 1.800 milhões de euros ou um por cento do PIB" e em "buracos no sistema financeiro que agora os portugueses estão a pagar".
"Os responsáveis são o Governo e os partidos que viabilizaram aprovando ou abstendo-se na nacionalização do PSD", salientou.
Ora posto isto estão para aparecer os habituais comentadores da praça (com ou sem república) para virem atribuir culpas aos outros, quando no fundo e em questões tão concretas colocaram-se ao lado do grande capital, contribuindo para o buraco que agora dizem não ter escavado! É caso para dizer... Perdoai-lhes Senhor, eles não sabem o que dizem! 
Há homens que lutam um dia, e são bons;
Há outros que lutam um ano, e são melhores;

Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons;

Porém há os que lutam toda a vida

Estes são os imprescindíveis

terça-feira, 29 de março de 2011

Avé Cesar!

Caro(a) Leitor(a)

Não há FMI que pare o meu Benfica e pelos visto não fica por aqui.
O médio é o sexto reforço confirmado para 2011/2012 depois de Nolito (Barcelona), Daniel Wass (Brondby), Rodrigo Mora (Defensor Sporting), Nuno Coelho (Académica) e Matic (cedido pelo Chelsea ao Vitesse).

Mais e Menos!

Caro(a) Leitor(a)

Estudantes de Design e Comunicação da Universidade de Belas Artes lançam Projecto para que "as pessoas possam ter uma mente mais aberta, para que sejam curiosas e não se deixem manipular pelas elites, que compôem só 20% da nossa sociedade".

Para ver e conhecer maisemenos.

segunda-feira, 28 de março de 2011

sexta-feira, 25 de março de 2011

Sábado!

Caro(a) Leitor(a)

A Sábado trouxe numa das suas edições um extenso trabalho onde revela a actividade empresarial de Pedro Passos Coelho, candidato a Primeiro Ministro do nosso País.

No extenso artigo da revista que titula “Os interesses de Passos”, podemos ler que as empresas de resíduos do grupo Fomentinvest, onde Pedro Passos Coelho tem responsabilidades de gestão, tiveram como sócios (e num caso ainda têm) figuras envolvidas em escândalos financeiros: os construtores irmãos Cavaco, acusados de burla qualificada no caso BPN, foram sócios em sociedades do universo Fomentinvest até Dezembro de 2009; e Horácio Luís de Carvalho, que está a ser julgado por corrupção activa e branqueamento de capitais, ainda é sócio da sub-holding Tejo Ambiente.

Recorda a publicalção semanal que quando, em Novembro de 2003, Passos Coelho entrou para o grupo, liderado pelo histórico do PSD Ângelo Correia, Horácio Luís de Carvalho já era administrador e sócio da Tejo Ambiente, a sub-holding da Fomentinvest que controla as empresas de resíduos Ribtejo e HLC Tejo.

Ligações

Diz a propósito que, depois de ter vendido a HLC Tejo do grupo de Ângelo Correia, Horácio de Carvalho passou então a deter 20% da Tejo Ambiente através da sua empresa HLC EGP - Engenharia e Gestão de Projectos. Contudo, refere que, nos últimos anos, Horácio de Carvalho delegou a sua representação na administração da Tejo Ambiente no seu sócio Jorge Raposo de Magalhães. Recorda que o empresário está a ser julgado desde Outubro de 2009, no processo de adjudicação do aterro sanitário da Cova da Beira, que remonta à segunda metade dos anos 90, onnde é acusado de ter depositado 59 mil euros numa conta offshore de António Morais, o “célebre” professor de José Sócrates na Universidade Independente, que trabalhou com Armando Vara no Ministério da Administração Intema. Refere que, segundo a acusação, António Morais terá favorecido Horácio de Carvalho através da sua consultora, a ASM, que prestava assessoria no concurso para o aterro. O valor do contrato em causa ascendia a 13 milhões de euros.

O concurso teve lugar quando José Sócrates ainda era secretário de Estado do Ambiente - e o actual primeiro-ministro chegou a ser investigado, mas no que lhe dizia respeito o processo foi arquivado em 2007. Lembra ainda que, em finais de 1997, Horácio de Carvalho tinha vencido 10 concursos para aterros como o da Cova da Beira num total de 37, escreveu o Público em 2009.

Contactado pela Sábado, Pedro Passos Coelho não quis pronunciar-se sobre estes casos nem sobre assuntos que digam respeito às empresas. Ângelo Correia diz que a Fomentinvest “nada tem a ver” com Horácio de Carvalho: “Não temos qualquer relação com ele, nem está nos órgãos sociais.”

Outros envolvidos

Os outros sócios da Fomentinvest envolvidos em escândalos são os empresários de Santa Maria da Feira António e Manuel Cavaco. São os donos da construtora Irmãos Cavaco, que detinha 1% da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), proprietária do Banco Português de Negócios, e 1,5% da SLN Valor. Mais adianta que estão envolvidos no processo do BPN acusados de cumplicidade com Oliveira Costa numa burla qualificada para iludir a supervisão do Banco de Portugal. Estes construtores e outros cinco accionistas do grupo SLN/BPN terão comprado a SLN Imobiliária à SLN, através de uma empresa offshore, mas corn dinheiro do próprio BPN, simulando uma mudança de propriedade apenas formal. A empresa ficava assim fora da alçada do Banco de Portugal.

Ligações ao crédito

Na Fomentinvest, os irmãos Cavaco foram sócios da empresa de recolha de lixo Ecoambiente entre 2005 e 2009, onde detinham 30% do capital, e pertenciam a um agrupamento de empresas para recolha de lixos em Albufeira. A Fomentinvest comprou-lhes a participação em Dezembro passado quando os irmãos Cavaco manifestaram intenção de vender.

A construtora ainda é parceira noutra empresa do grupo: detém 37% da SDEL (construção e exploração de mini-hídricas). “Nunca houve ligação ao BPN no financiamento dessa empresa”, diz Ângelo Correia.

Pedro Passos Coelho é o administrador do grupo Fomentinvest. Tem o pelouro financeiro, com uma boa parte das operações de crédito bancário do grupo e as relações com a banca a passarem por ele. De resto, diz a Sábado, os seus créditos como gestor especializado estão ligados aos resíduos.

Além disso, a publicação acentrua que o candidato a líder do PSD é presidente do conselho de administração da HLC Tejo e da Ribtejo - dois aterros de resíduos situados no Ecoparque da Chamusca.

Segundo a Sábado, a sede da Fomentinvest é no 10º andar da Torre 3 das Amoreiras, em Lisboa, onde Passos Coelho ocupa um gabinete espartano a três metros do de Ângelo Correia, com uma vista avassaladora sobre Lisboa. A Fomentinvest controla mais de 30 empresas com muitas relações com o Estado, distribuídas por três sectores: ambiente, energia e carbono.

Formado com 18 valores em Economia pela Universidade Lusíada (quando já tinha 38 anos), o social-democrata de 45 anos gere empresas que estão sujeitas a imprevistos como os da Chamusca.

Contra-ordenações

Recorda que em 2008, a Ribtejo foi alvo de uma contra-ordenação ambiental muito grave “por descarregar efluentes contaminados na ribeira de Lamas”, escreveu o jornal Público em Outubro de 2008. Realça que as análises notavam que a concentração de sulfitos era 34 vezes superior aos máximos legais e que os sulfuretos os ultrapassavam 27 vezes.

A IGAOT aplicou a Ribtejo uma coima de 60 mil euros por incumprimento das normas de qualidade das águas, decisão da qual a empresa recorreu para tribunal, por entender que a entidade fiscalizadora se tinha enganado na verificação de parâmetros.

As três empresas ambientais da Fomentinvest terão sido alvo de 12 processos por infracções nos útiltimos anos.

Sublinha ainda que, da mesma maneira que são fiscalizadas pelo Estado, muitas das empresas sob alçada do candidato a líder do PSD têm entidades estatais como clientes. A HLC Tejo, por exemplo, tinha o Estado como única cliente, pois geria o aterro de resíduos urbanos da Chamusca (uma concessão atribuída por 10 anos pela Associação de Municípios da Lezíria), mas as autarquias não renovaram o contrato com a Fomentinvest em Maio de 2009. Desde o ano passado, as autarquias tomaram conta da gestão do aterro, onde agora a Fomentinvest está a desenvolver um projecto de biogás através da CEBC - Produção de Energia.

Trabalhos com Câmaras

Uma grande parte da facturação de outra empresa do grupo, a Ecoambiente, também provém do Estado. Trata-se da segunda maior do País e trabalha para muitas câmaras municipais. Entre os grandes contratos com autarquias, conta-se a Câmara de Matosinhos (PS), onde a Ecoambiente criou uma empresa para recolha de lixo e limpeza de ruas, ao ganhar um concurso internacional de valor superior a 20 milhões de euros, em 10 anos.
Outro grande cliente da Ecoambiente é a Câmara de Albufeira (PSD), cuja prestação de serviços vale 27,8 milhões de euros entre 2005 e 2013 (era em sociedade com a Irmãos Cavaco). Também são clientes da Ecoambiente as câmaras do Seixal e Almada (CDU), as de Olhão, Loures, Marinha Grande, Azambuja e Montijo (PS), e da Maia, Valongo e Mafra (PSD).

Por outro lado, aponta a revista que, no concelho de Sintra, onde Ângelo Correia é o presidente da Assembleia Municipal e Fernando Seara preside à Câmara (PSD), a Ecoambiente mantém um contrato com uma empresa municipal para o aluguer de viaturas para recolha de lixos e limpeza de ruas que ultrapassa os 2,5 milhões de euros por ano. Isto apesar da revista recordar que o estatuto dos eleitos locais dizer que os autarcas não podem celebrar contratos com as câmaras por onde foram eleitos.

Ligações ao Estado

Ângelo Correia explica à Sábado que o contrato é anterior à sua ida para a Assembleia Municipal e afirma que se demitiu, nesse momento, de presidente da Ecoambiente.

Outra empresa que pertence à Fomentinvest Ambiente é a ISBS, uma consultora adquirida em 2008 à Société Générale de Surveillance (SGS), que dá aconselhamento em “projectos inovadores para submeter ao QREN [Quadro de Referência Estratégico Nacional – de fundos comunitários]”, segundo o relatótrio e contas do grupo. No portfólio de clientes publicado na página da empresa na Internet constam 18 entidades estatais, entre as quais câmaras, portos, institutos e empresas estatais, como CP e Metro de Lisboa, ou ligadas ao Estado como a EDP.

Mas há mais sociedades do grupo Fomentinvest que têm relações directas com ministérios. É o caso da Ecoprogresso, que faz consultoria e opera no mercado de compra e venda de licenças de emissões de carbono. Segundo o relatório e contas da Fomentinvest, a Ecoprogresso colabora com o Ministério do Ambiente (o mesmo que fiscaliza as empresas de resíduos do grupo) e com a Agência Portuguesa do Ambiente.

No caso das mini-hídricas da SDEL (subsidiária da Fomentinvest Energia SGPS) em Cabeda, Parada de Pinhão; Armamar, Tabuaço e Fafe, o arranque dos projectos está pendente de decisões de entidades da administração pública e das autarquias. A Fomentinvest também ganhou concursos do Ministério da Economia para a construção e exploração de centrais de biomassa em Portalegre, na Covilhã e na Sertã (embora tenha participado em mais), mas os projectos estão parados.

Reorganização perdida

Um dos concursos mais importantes em que a Fomentinvest esteve envolvida foi a reorganização da Galp, cujo modelo caiu quando o Govemo socialista de José Sócrates tomou posse. O grupo gerido por Ângelo Correia concorria em consórcio com os norte-americanos do grupo Carlyle para entrar na petrolífera.

Numa entrevista à Sábado, em 2008, como candidato à liderança do PSD, Passos Coelho não reconhecia a existência de um conflito de interesses entre os seus cargos como administrador e apresidência do maior partido da oposição. “Não tenciono deixar a minha vida profissional para me dedicar a 100% à política, a não ser que haja uma incompatibilidade prática evidente: se vier a ser primeiro-ministro. (...) Mas se puder trabalhar enquanto for presidente do PSD, procurarei conciliar as questões.” E acrescentou: “Quando as pessoas estão na política, não podem estar desligadas da sociedade. Caso contrário, só os reformados, desempregados ou funcionários públicos poderiam estar na política (...). Se me aperceber de que não é possível [conciliar], farei a a opção que se impõe.

Em 23 de Janeiro deste ano, numa entrevista ao Expresso, a sua posição evoluiu: "Há dois anos fui mal interpretado e agora não quero deixar dúvidas: se for eleito presidente do PSD, profissionalmente não vou deixar de ter as responsabilidades que tenho; mas não poderei exercer funções executivas na empresa e não poderei ficar na administração, é evidente.”

Esta semana, em declarações à Sábado, Passos Coelho esclarece melhor as suas palavras: “Faço parte da empresa; não faz sentido agora despedir-me. Mas suspenderei as minhas funções na Fomentinvest, o mais natural é que me demita da administração, mas não vou rescindir o contrato.”

Horário Roque é membro do conselho estratégico da Fomentinvest e um dos principais accionistas. O banqueiro tem uma posição cautelosa: “Penso que pode ser um pouco desconfortável para ele. A empresa vive bem com isso, mas nunca é muito bom misturar política com negócios. Não consideramos aconselhável.”

Em Janeiro deste ano, com Ângelo Correia ao lado, José Sócrates e o ministro da Economia, Vieira da Silva, participaram na inauguração. O primeiro-ministro disse que era “necessária uma concertação entre o Estado e o sector empresarial” para Portugal depender menos do petróleo e elogiou a Fomentinvest: “Isto é que é um trabalho bem feito!”

Ângelo Correia também participou em comitivas empresariais que acompanharam o primeiro-ministro ao estrangeiro.


 


quarta-feira, 23 de março de 2011

PSD=PS=Nem eira e nem beira!

Caro(a) Leitor(a)

Ele já caiu, agora o resto é consigo!

Processo de criação artistica!

Caro(a) Leitor(a)

Confesso que quando estou de folga.... estou de folga! Faz 3 dias que não postava nada por causa de tal acontecimento inédito na minha vida!
Findo este momento de pausa este post é a propósito do novo regulamento para a criação artistica em Beja e conhecendo o que conheço já fazia falta! Não sei se foi uma das conclusões do colóquio que houve na Casa da Cultura, mas parece-me a mim, que apesar de nada disto ser novo, pois a CDU já o tinha feito em mandatos anteriores e que abdicou e mal neste último, o principio de diversificar só contribui para mais e novos valores, reforçando desta forma a identidade e a inter e multiculturalidade que o nosso concelho tem a despontar que nem cogumelos! Para ver aqui as declarações do dito cujo! 

domingo, 20 de março de 2011

Diário de Noticias

Caro(a) Leitor(a)

Não sou eu que o digo são eles.

Tavares!

Caro(a) Leitor(a)

Depois deste video, decidi atribuir uma etiqueta neste blog aos homens da luta!



:)

Super Lua!

Caro(a) Leitor(a)

Ontem quando ia para o trabalho a imagem que tinha da "Super lua" era digna de uma máquina à mão para registar o momento... não foi possivel.

Para os curiosos a Associated Press tem um registo mundial de fotografias da dita cuja que pode ver aqui.

sábado, 19 de março de 2011

Um sonho para você!

Que a geração à rasca se manifeste ou se cale para sempre!

Caro(a) Leitor(a)

Hoje Lisboa é palco de mais uma grande manifestação! Qual é a diferença desta manifestação da que aconteceu no passado dia 12 de Março?
Ora bem, a diferença não reside no facto de ser uma manifestação, pois ambas resultaram num "ajuntamento"de pessoas em protesto contra esta politica. A diferença de uma para a outra reside no facto de esta exigir uma clara mudança e ruptura de de politicas seguidas ao longo destes anos. A diferença reside no facto de esta ser uma manifestação de classe que sabe que o conformismo com a realidade não é uma fatalidade e que a alternativa é o socialismo. A diferença?... a diferença é que a geração à rasca teve o alto patrocinio dos mass media e quiçá do PR, com interesses suprapartidários ocultados. ´
A diferença é que a manifestação de hoje nem teve direito a uma reportagem ou um reclame ao longo da semana, com o receio de que o povo ganhasse consciência.
A diferença? A diferença é que hoje estarão milhares em Lisboa tal como no dia 12 de Março com a consciência de que a precariedade que atinge os jovens, os altos lucros que a banca acumula, que o desemprego que sobe em flecha, que a recessão está à espreita, que o FMI vem a caminho é tudo fruto e resultado de politicas do PSD/CDS e PS, e essa é uma grande diferença!   



sexta-feira, 18 de março de 2011

Não há dinheiro?

Caro(a) Leitor(a)

Não há dinheiro diz o municipio de Beja através do seu presidente, para cumprir com as suas obrigações para com as colectividades de desporto de Beja, que emitiram um comunicado colocando os pontos nos isssss e que já fez com que a Associação de Juvenil Arruaça emitisse um abaixo assinado por causa da continuidade do seu trabalho no Bairro Social!
Cá para mim isto não fica por aqui, pois tanto quanto sei e depois de já o ter escrito aqui e aqui a alertar para esta situação que coloca em causa um vasto conjunto de pessoas voluntárias bénévolas, que contribuem para o aprofundamento da democracia participada nas mais diversas áreas que caracterizam o movimento associativo popular no nosso concelho, ainda estão para vir mais associações a reclamar pelo dito cujo. 
Mas já agora é a falta de dinheiro ou é a escolha de opções politicas que legitimam as decisões deste executivo. Porque afinal não há dinheiro para os clubes, associações de jovens e Coletividades no geral, mas há dinheiro para o Festival do Amor, Beja Wine Party, Cartões de crédito, viagens ao estrangeiro do presidente entra tantas outras opções legitimas de quem ganhou as eleições.



domingo, 13 de março de 2011

Sobressalto civico!

Caro(a) Leitor(a)

Um blog cá da praça ou da praça, como lhe queiram chamar, escrevia com base nas declarações do PR dele que“A nossa sociedade não pode continuar adormecida perante os desafios que o futuro lhe coloca. É necessário que um sobressalto cívico faça despertar os Portugueses para a necessidade de uma sociedade civil forte, dinâmica e, sobretudo, mais autónoma perante os poderes públicos.”
Colocando de seguida imagens da manifestação da geração à rasca da qual certamente lhe pertencerão alguns dos seus familiares, como que, por ares da magia do PR tudo o que aconteceu ontem tivesse surtido efeito pelas suas palavras na tomada de posse....
`
É caso para dizer que:
Ontem como hoje a luta será o garante do povo e o destino deste governo e de qualquer outro que coloque em causa aquilo que é o direito a ter trabalho, educação, saúde, cultura, habitação, paz e pão!
Ontem como hoje, os demagogos aparecem que nem cogumelos, reinvindicando responsabilidades aos outros como se nunca tivessem tido.
Ontem como hoje, aparecem como os senhores da razão suprema e soberana de quem nunca governou.
Ontem como hoje, vêm à televisão escrevem em blogs, comentam e criticam este governo como se a sua acção e intervenção desde o 25 de Abril não existisse.
Ontem como hoje, falam em sobressalto civico, quando no seu tempo, o mesmo sobressalto civico era proibido e reprimido.
Ontem como hoje isto cheira mal.... muito mal!

Governo de Cavaco Silva
 

Governo de Cavaco Silva


Governo de Cavaco Silva

sábado, 12 de março de 2011

Geração à rasca

Caro(a) Leitor(a)

Hoje foi mais um dia de luta como em tantos outros que ocorreram ao longo da história em Portugal e em particular com este governo xuxalista que se diz socialista!
Sabemos que quer com PS ou PSD a geração continuará a ser à rasca! Porque no fundo no fundo aquilo que os divide é tão pouco perante aquilo que os une!
Não há dúvidas de que só o Socialismo é o caminho para construir uma sociedade nova, colocando desta forma as politicas neoliberais de PS/PSD/CDS-PP na gaveta. Mas esse caminho socialista só pode ser feito com o PCP, porque tal como Brecht dizia:

Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons;

Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons;

Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda;

Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis.

Que hoje não seja apenas só a luta de um dia mas sim a luta que há-de vir amanhã e depois de amanhã, pois só assim conseguiremos tal como a história já demonstrou, derrubar quem nos governa e governou ao longo destes anos.
Hoje ficou provado que estamos à rasca de trabalho e condições de vida, mas na esperança de um Portugal melhor, ficou provado que à vontade e dinâmica de luta com fartura!
Geração à rasca!


Geração da esperteza!

quarta-feira, 9 de março de 2011

Homens da Luta VS Jornalista da SIC

Caro(a) Leitor(a)

Depois de tudo o que ouvi e vi escrito em blogs, jornais, telejornais, e outros ais que por ai andam a dizer mal e a condenar a vitória de Jel e seus companheiros, esta entrevista dada na SIC mostra o quanto à de consciência e conhecimento por parte dos homens da luta! Sem Palavras! Vejam!

Nota: Aqueles que criticam, que tivessem votado! afinal de contas tb estava na mão desses a capacidade de derrotar os homens da luta :)

terça-feira, 8 de março de 2011

90 Anos é muita fruta!

Caro (a) Leitor(a)

O Partido Comunista Português faz 90 anos apesar das difamações e tentativas de usurpar o património de luta e de história à qual está confinada a democracia em Portugal e o papel que os comunistas tiveram.
90 Anos passados e apesar das tentativas de colagem a outros regimes comunistas que se diferem da nossa perspectiva transformadora, o PCP assume-se hoje como um Partido indispensável na sociedade portuguesa e na defesa dos direitos e interesses de todos os trabalhadores. 
90 Anos passados o seu carácter humanista e revolucionário bem como toda a nobreza do nosso projecto libertador da sociedade, contém em si mesmo um enorme poder de atracção quando as massas o conhecem e o interpretam.
Mas, numa altura em que no plano internacional o capitalismo detém a iniciativa política, e no plano nacional e local o Partido sofre há largos anos um ataque cuidadosamente planificado e concretizado pelos seus inimigos, há que alargar, reforçar e aprofundar as raízes do Partido onde o terreno é mais firme e dá mais garantias de não partirem ao primeiro vendaval, dos muitos a que certamente vamos ter que fazer frente e com êxito. Junto dos assalariados demais operários, o reforço e aprofundamento da nossa organização é o caminho pois a experiência mostra que é lá que temos de ir buscar a força e a energia renovadas que tanta falta nos faz.
Não há dúvidas de que quando questionam e interrogam para onde vamos, qual o caminho que seguimos, nós respondemos, lembrando o nosso camarada Álvaro Cunhal, “que o caminho é o da luta que continua. E o nosso Partido, para corresponder às exigências que a situação imediata e futura comporta, contrariando pressões e desejos para deixar de ser o que é, confirma e afirma, corajoso e confiante, a sua identidade comunista.”


Hoje o Jornal Público dá destaque os mais novos do mais velho partido portugues

100 anos de esperança, luta e emancipação! Continuem!

O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de Março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por "Pão e Paz" - por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.
1975 foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em Dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres, mas também a discriminação e a violência a que muitas delas ainda são submetidas em todo o mundo.

segunda-feira, 7 de março de 2011

quinta-feira, 3 de março de 2011

As crianças primeiro!

Caro (a) Leitor(a)

Grande iniciativa que ontem o CPCJ de Beja organizou na ESEB. A importância da rede social do concelho de Beja e o papel da CPCJ na defesa primordial das crianças e jovens em risco ou em perigo é um papel de toda a comunidade sendo que a subsdiaridade das instituições que trabalham directamente com este público alvo é fundamental na prevenção de base. 
Apesar de no convite não constarem dois nomes dos primeiros intervenientes, sendo um deles o presidente cá do burgo, gostei particularmente da intervenção inicial que serviu para situar a problemática em questão por parte de um outro orador que lamento não saber o nome.
Mas o objectivo deste post não é propriamente resumir o que passou nesta aula aberta, mas sim para perguntar ao presidente cá do burgo, porque raio a CMB retém a verba transferida do OE destinada à subsidiaridade das instituições que trabalham com crianças e jovens ao abrigo da Componente de Apoio à Familia! Será que ontem não se lembrou das crianças e dos técnicos que que tanto valorizou ?